quinta-feira, 23 de junho de 2016

Aqui se Come (1) - Kapusniak


A distante Polônia é o lar de uma culinária saborosa, rústica e robusta. É comida feita por camponeses e para camponeses que dão duro o dia inteiro. Como em todo país frio, tem várias versões de sopas e ensopados. A Czernina, por exemplo, é uma espécie de pato ao molho pardo (ensopado no próprio sangue), acompanhado de batata-doce e talharim caseiro. Se você comer um prato desta sopa (deliciosa, por sinal) saboreando um excelente vinho tinto, pode passar dois dias trancado num freezer sem problemas. 


Para fazer esse prato, o absolutamente certo é comprar um pato vivo, cortar a jugular da ave com precisão e aguardar pacientemente que todo o sangue escorra para dentro de uma panela (enquanto o bicho esperneia). Mas antes que comece o "mimimi" dos vegetarianos e dos hipócritas que adoram um churrasco sem pensar de onde veio sua matéria prima, vou contar como se faz uma excelente sopa de repolho, a Kapusniak.

Comece colocando meia garrafa de vodca Wyborowa no congelador, de um dia para o outro. Na manhã seguinte, abra a vodca e sirva-se de uma generosa dose num copo pequeno (shot glass). Beba tudo de uma vez. Tem gente que bota pimenta branca moída dentro do copo, para dar um punch a mais. Eu já experimentei e recomendo. 

Pegue duas batatas-doces, descasque, pique e coloque numa panela de pressão com água. Dê pressão nas batatas por uns 20 minutos, até que desmanchem. Enquanto isso, sirva-se de mais uma dose de Wyborowa. Veja como, pouco a pouco, a vida começa a parecer mais agradável. Um salaminho com limão cairia bem agora...

Bem, abra a panela de pressão (estou presumindo que você SAIBA como abrir uma panela de pressão). As batatas sumiram e se transformaram em um caldo espesso. Este caldo será a base da sopa. Agora entram em cena as costelinhas de porco defumadas. Corte-as em pedaços e jogue neste caldo. Adicione bacon. Neste momento, é hora de temperar. Cuidado com o sal, pois as costelinhas e o bacon já são salgados.

Depois disso, meta pressão de novo. É um bom momento para tomar mais uma dose de vodca. Devido à grande quantidade de álcool, a vodca jamais congela (em aparelhos domésticos, claro). A temperatura de congelamento do álcool é mais ou menos -37°C. Porém, se você mergulhar uma garrafa de vodca em nitrogênio líquido, ela congela, sim senhor. Mas perceba como, após passar a noite no congelador, ela adquire uma consistência cremosa e desce que é uma beleza. 

Depois de mais 20 minutos, abra a panela. Está quase pronto. Acrescente repolho em fatias finíssimas e cozinhe, sem tampar, por pouco tempo, até que ele fique só um pouco macio mas sem amolecer muito. Apague o fogo. 

Neste momento, procure um vinho decente na despensa. De preferência, um Cabernet Sauvignon australiano. Abra a garrafa e beba um cálice, estalando a língua. Olhe pela janela da cozinha e respire fundo. Pense em como a felicidade realmente às vezes está nas pequenas coisas. Não que devamos desprezar as grandes coisas. Tudo tem sua hora. 

Esta sopa perde muito do seu sabor se não for consumida com vinagre de vinho branco. Funciona assim: encha um prato fundo com o caldo espesso, as costelinhas e o repolho. Pegue a colher, encha com o vinagre e despeje sobre a sopa. Repita a operação quantas vezes quiser, misturando bem o vinagre no caldo e experimentando o gosto. Depois, saboreie a Kapusniak. Beba um bom gole de vinho e grite em Polonês sem sotaque: "Twoje zdrowie"!

Nenhum comentário:

Postar um comentário