sexta-feira, 24 de junho de 2016

Aqui se Come (2) - Gazpacho Andaluz


A Andaluzia é uma região da Espanha que fica ao sul, banhada pelo Mediterrâneo. Parece que Luiz Buñuel era de lá. Esse maluco fez um filme chamado "Um Cão Andaluz", em mil novecentos e vinte e poucos, em parceria com Salvador Dalí. O filme - mudo e em preto-e-branco - é provavelmente uma das coisas mais bizarras já registradas em celulóide. Logo no início, o globo ocular de um sujeito é cortado por uma navalha; o humor líquido escorre pela lâmina e pinga na camisa do infeliz. Não vou descrever o resto do filme pois não quero que ninguém perca o apetite.

Hoje em dia, é modinha falar da "Cozinha Mediterrânea" e, por isso, vou apresentá-los ao Gazpacho. Trata-se de uma sopa gelada que cai muito bem em dias de calor senegalesco e paroxístico. Quem quiser experimentá-la nestes albores hiemais (vai ter vocabulário bom assim lá na Andaluzia!), be my guest.

Vamos precisar de um quilo de tomates maduros. Escolha bem esses tomates na feira, pois eles serão importantes. Retire a pele e as sementes. Agora, abra uma Heineken ou uma Proibida bem gelada e dê um grande gole. Respire fundo.

No liquidificador, coloque exatos 500 ml de água mineral sem gás gelada. Jogue os tomates lá dentro. Não ligue a máquina, ainda falta coisa. Adicione 3 dentes de alho. Descasque um pepino, deixando parte da casca. Pegue um pimentão e retire as sementes. Beba o resto da cerveja e abra outra. Coloque o pepino e o pimentão no liquidificador. Adicione meia xícara de vinagre branco, 3 colheres de sopa de azeite de oliva e sal a gosto. Beba mais um gole de cerveja. Estamos na reta final.

Vamos ligar o liquidificador e bater bem. Num prato fundo, ponha duas ou três pedras de gelo. Se quiser, passe a sopa por uma peneira, para ficar mais liquefeita; eu acho desnecessário. Depois despeje a sopa no prato, cobrindo com croûtons. Croûtons é o nome afrescalhado das torradinhas em cubos. Agora é só comer.

Olé!

Nenhum comentário:

Postar um comentário