sábado, 25 de junho de 2016

Aqui se Come (3) - Kassler, Sauerkraut, Bockwürst und Bier

Na Alemanha existe uma lei do século XVI, a Reinheitsgebot (Lei da Pureza), segundo a qual qualquer coisa que se venda com o nome de "cerveja" deve conter apenas água, malte, lúpulo e cevada. Essa lei é uma das melhores coisas que um Poder Legislativo já fez em toda a História da Humanidade. Deveria ser aplicada ao mundo inteiro.

Malte é a designação genérica das sementes de cereal recém-brotadas e posteriormente torradas. Existem deliciosas cervejas feitas com malte de arroz, de milho e de trigo, além da tradicional cevada. O papel do malte na fabricação da cerveja (além do seu sabor) é fornecer o amido que será decomposto pelo processo da fermentação e se transformará em álcool. O problema é quando (por questões de demanda ou pura safadeza mesmo) os fabricantes usam qualquer coisa que fermente, como repolho, casca de arroz, casca de milho, casca de batata e por aí vai (e volta, o que é pior). Isso é o que provavelmente você vai beber se entrar num boteco agora e pedir uma cerveja nacional.

Meu critério para avaliar cervejas mudou radicalmente após a minha primeira viagem internacional: fui ao Paraguai comprar muamba. Naqueles shopping centers pavorosos, coalhados de lojinhas de coreanos, encontrei no subsolo uma sala com um índio sentado em cima de um freezer. Tinha uma cartolina na parede onde se lia "cerveza". O rapaz saltou de cima do freezer e o abriu, revelando um festival de latinhas com rótulos multicoloridos. Na época (sim, faz tempo) não se encontrava cerveja importada no Brasil, portanto eu fiquei meio desnorteado, sem saber por onde começar. Aleatoriamente, peguei uma inglesa, "Gold Label". Abri e tomei um gole. Aí eu entendi. Entendi que estava, pela primeira vez na vida, bebendo uma cerveja de verdade.

A Corsendonk é uma cerveja belga um pouco difícil de encontrar. Sua produção é limitada, o processo de fabricação é supervisionado por monges, e o preço é bem salgado, coisa em torno de nove dólares por uma long-neck. Mas, meu caro, depois de beber esta cerveja a sua vida nunca mais será a mesma.

Desapegue-se dos valores materiais e compre uma caixa dessa maravilha engarrafada. Bote para gelar na geladeira, não no congelador, de um dia para o outro. Na manhã seguinte, abra uma garrafa de Schlichte, que é um genuíno Steinhäger alemão. Os Steinhägers brasileiros são pálidas imitações da bebida original. Verta estupidamente a bebida (que deve estar estupidamente gelada) num copo pequeno. Abra a primeira Corsendonk e vá alternando goles de Steinhäger e cerveja.

Coloque duas salsichas bock para ferver na água. Frite dois Kassler - corte de carré suíno - e reserve. Abra uma lata de chucrute e escorra bem. Frite o chucrute rapidamente, apenas para aquecer. Monte o prato colocando uma salsicha, um Kassler, chucrute e maionese.

Prosit!

Nenhum comentário:

Postar um comentário